MIDIA GOSPEL

Qui12082016

Last update12:01:22

Crise Familiar

Gostou? Comente este artigo no fim da página
A crise da família pode gerar uma catástrofe ou uma oportunidade de se reencontrar. Todas as pessoas podem passar por duras provas no decorrer de sua vida.

As conseqüências mais visíveis no ambiente familiar de acordo com Maria José Mazzonetto, terapeuta familiar do Inef ( Instituto de estudos da família, em S. Paulo  “As conseqüências mais visíveis no ambiente familiar foram que pai e mãe passaram a dividir direitos e responsabilidades sobre os filhos e os relacionamentos, a se basear nas afinidades e na busca de prazer.

Essas e outras novidades, contribuíram, então, para que surgissem novos modelos de famílias entre tantos que já existem. Segundo estudos realizados pela ONU ( Organização da Nações Unidas, existem, hoje, pelo menos doze formas de famílias, distribuídas em três dimensões: a nuclear, ou reduzida, constituída por pais ( ou um só deles) e filhos, sejam eles biológicos, adotivos ou gerados invitro; a estendida, que abrange relações de parentesco até três gerações, famílias tribais e poligâmicas; a reorganizada, constituída por recasados, pessoas do mesmo gênero (homossexuais) ou agrupamentos comunitários.

O modelo tradicional da unidade familiar baseia-se na união entre um homem e uma mulher que geram filhos. Atualmente, porém,  há uma busca de arranjos não tradicionais. Só o tempo dirá as conseqüências dessas mudanças no tecido social e sua influência na formação dos filhos criados nos novos tipos de unidade familiar”analisa Maria José. A principais mudanças neste século na família para citar as principais vejamos:

A crise na sociedade
“...a minha tenda está destruída, e todas as minhas cordas se romperam; os meus filhos foram-se de mim, e não existem; ninguém há mais que estenda a minha tenda, nem que levante as minhas cortinas, porque os pastores se embruteceram, não buscaram ao Senhor; por isso não prosperaram, e todos os seus rebanhos se espalharam...” Jeremias 10:20-21

Na  velha Roma havia um adágio, um ditado assim: “Ai dos vencidos” Hoje há muitos lares derrotados por causa da inversão de valores que predomina, numa sociedade desajustada dos valores bíblicos. A derrota é a marca maior de muitos lares “A minha tenda foi destruída” Casamentos  destruídos, relacionamentos destroçados, as tendas estão caídas. Jesus disse que uma das características que predominariam a sociedade nas proximidades de sua vinda seria a crise das emoções, Ele disse que o amor de muitos esfriaria (...).  “Todas as cordas se romperam” Laços, cordas do romantismo, cordas da estima, laços da cordialidade, dos afagos, das carícias, do tempo juntos. “meus filhos foram-se de mim” Quantos lares estão vendo seus filhos que se foram: nas drogas, na prostituição, no crime.

Quanta desolação dos filhos que se foram; Diante do caos familiar que presenciamos  desaparece a esperança em conseqüência o desânimo, a frustração,beco sem saída é a situação atual da família. As pessoas ficam perplexas, estarrecidas diante da crise instalada, olha de um lado e do outro não vê solução e então diz:“Ninguém há que levante a minha tenda”

•Nossa sociedade moderna é estúpida, irreverente. Nossa ética, a postura, o comportamento demonstram que estamos perdendo o bom senso, estamos enlouquecendo.

Permissividade
“Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário a natureza. E semelhantemente também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro” Romanos 1:25-27

Um exemplo terrível  é o da novela intitulada “laços de família” Novela global em horário nobre em que foi exibido há alguns anos atrás. Os valores da família, na relação conjugal e do comportamento moral não são cristãos. Por outro lado a rede de televisão que promovia a trama no horário nobre, retrata a realidade social em que vivemos, onde os valores quase que imperam numa nova ordem social, porém destruidora.

A trama, incluia insinuações de incesto, traições disputas entre mãe e filha pelo mesmo homem. O Monsenhor Arnaldo Beltrami  porta voz da cúria metroplitana do Rio de Janeiro ressaltou; “Você pode ver a novela e depois discutir com a família, sobre o que gostou e não gostou, e rejeitar os contra valores” ( Pesquisa folha de S.Paulo 18/10/00).
Os valores bíblicos são desprezados e a Bíblia é considerada absoleta. A sociedade quanto mais evoluída, mais distante fica dos preceitos divinos.  A Câmara Baixa do parlamento alemão aprovou a quase duas décadas, precisamente no dia 10 de novembro de 2000, o projeto de lei que reconhece o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Apesar dos protestos da oposição conservadora e da igreja, os votos dos deputados dos Partido Social Democrata foram decisivos para a aprovação da medida reinvindicadas por gays e lésbicas. “Nosso objetivo é acabar com a discriminação, demonstrar respeito a outras formas de vida e apoiar as relações sólidas entre as pessoas”disse a ministra da justiça, Herta Daubler-Gmelin ( Pesquisa Jornal do Brasil 11/11/2000). O ex-presidente da Organização Arcigay declarou “o plano de Deus não tem nada a ver com as leis de Estado”.

Há situações  para muitos casais “modernos” a fidelidade está no sentimento e não na relação sexual. Aumenta  assustadoramente no mundo  inteiro o  a prática do suwing, a troca de casais, alguns defendem a tese de que é preciso aprender na pratica valores como liberdade, fidelidade e  tolerância, compreendendo que o prazer  é o fator mais importante que sentimentos, por que são passageiros e não comprometem um relacionamento maduro.

O Apóstolo Paulo é enfático com relação a permissividade, ele nos mostra as causas do desequilíbrio. “Mudaram a verdade de Deus em mentira”, optaram pelas próprias vagueações de sua mentes. Optaram pelo indecência, ao invés da decência. A incontinência de muitos está abrasando a humanidade naquilo que o Apóstolo Paulo se referiu de “Paixões infames”.

As conseqüências da crise da permissividade é sentida na sociedade, como um flagelo social, Aumentam os casos de  pedofilia , de meninas adolescentes que engravidam prematuramente, e a prostituição infantil, aumenta consideravelmente ano a ano, assustando as autoridades.

A  Crise econômica
A política econômica também tem a sua parcela de responsabilidade nas mudanças da estrutura familiar, parcela, muito grande por sinal, que começou com o crescimento da industrialização, que levou as mulheres para as frentes de trabalho.

Há muitos anos no Brasil existem crises na economia. Quem tem mais de 40 anos tem recordações (não muito agradáveis) do plano cruzado, o ano do congelamento, onde os preços estabilizaram, mas no final de 1986, desmoronou-se, surgiu então o famoso plano Collor, sumiu o dinheiro das cadernetas de poupança, onde foi o dinheiro?

O governo, liberou apenas cinqüenta mil cruzeiros de cada poupança, esse plano econômico também fracassou, e o governo Collor, acaba com o impechaman  do presidente que fora eleito pelo povo, acabou afundando em escândalo das famosas contas fantasmas de P.C. Farias e cia Ltda.

Ai surge o governo Itamar, com a volta do fusquinha, e o plano real. Fernando Henrique Cardoso, até então ministro da economia, elege-se presidente, e dois mandatos cumpridos, mas mesmo assim, a crise continua, o desemprego assusta o Brasil, a inflação foi contida a custa do suor do brasileiro, fome, miséria, no interior do país. Surge o governo Lula, a pergunta é esta: Será que esse governo vai superar a crise da fome, da violência? Parece-me que ainda a esperança para essa nação.

O que eu quero dizer que mais de 4 décadas existem crises na economia. E isso acaba afetando a família de forma direta. O pais desempregados, os baixos salários, a falta de alimentação adequada para os filhos em fase de crescimento. Na grande maioria das vezes as separações e divórcios acontecem no Brasil  por causa dos problemas financeiros.

Crise da autoridade
Filhos de casamentos diversos convivendo na mesma família; falta de autoridade e desorientação dos pais; a ausência  da mulher no lar geram crises no relacionamento afetivo criando barreiras de isolamento nas relações.

É normal os pais esperarem muito dos seus filhos. Mas os filhos? Será que eles esperam algo de seus pais? Há algum tempo o psicólogo Dr R.F. Hertz realizou uma pesquisa com o propósito de saber o que as crianças desejam e esperam de seus pais. O trabalho foi realizado com base na observação de 100 mil crianças de  24 diferentes países com idade co compreendida entre 8 e 14 anos, e pertencentes aos mais diversos segmentos sociais. As condutas especificadas por essas crianças podem ser resumidas em dez diferentes itens.

•Não desejariam que os pais discutissem em sua frente
•Gostariam de ser tratadas com o mesmo carinho recebido por outras crianças de outras famílias.
•Não queriam ser omitidas ou enganadas
•Desejariam que houvessem tolerância mútua entre seus pais
•Gostariam que seus amigos fossem bem vindos como visitas em seus lares
•gostariam que houvessem mais camaradagem entre elas e seus pais
•Anseiam por  pais que estivessem dispostos a responder as suas perguntas
•Não apreciam ser castigadas ou repreendidas na frente de seus companheiros
•Gostariam que seus pais valorizassem seus pontos positivos e não ressaltassem suas fraquezas
•Queriam que os pais fossem constantes  no seu afeto e ações

A ausência dos –pais no relacionamento com os filhos, frustram as expectativas. Os filhos não se comunicam devidamente com os pais, e o resultado é o isolamento do núcleo familiar se resumindo no fato de conversarem apenas o essencial. Alguém já disse, esse é um problema educacional.

A entrada das crianças mais cedo na escola e a influência dos meios de comunicação, aceleram o processo de aprendizado, onde as crianças recebem muitas informações e  na maioria dos casos essas informações são nocivas, pois os meios de comunicação enfatizam a violência, a degradação  moral, a violência, que dificilmente é assimilada pela criança, onde a transmissão de valores são prejudicados, isso porque a consciência religiosa e ética não é formada apenas por familiares ai surge outra crise.

A inversão dos valores
O marido diante da modernidade dos tempos vê-se tolhido em seus direitos perdendo desastrosamente a autoridade Patriarcal, abrindo brecha para a esposa assumir posição de igualdade e por conseqüência também de direito”Quando o marido perde a autoridade patriarcal, perde também o respeito diante dos seus, e assim saindo de sua posição de guarda, permite a entrada de ideologias próprias, pensamentos e vícios. O resultado final é a desintegração dos valores familiares, culminando na destruição da família.

A mulher diante do vácuo deixado pelo homem ausente, vê-se na obrigação de assumir a guarda da família buscando  resolver à sua maneira posição de liderança no lar. Com isso o marido ausente se anula totalmente de suas funções, trazendo conseqüências trágicas no relacionamento.

A influência mais forte exercida dentro de casa para o homem é a mãe. A influência mais forte exercida dentro de casa para a mulher é a do pai. Quando esses valores são perdidos, os filhos perdem a referência, e por conseqüência surgem a gravidez prematura, os vícios das drogas, e os desvios comportamentais e outras centenas de situações extremamente complicadas, gerando distúrbios emocionais culminando com o fracasso da família .

A ausência de valores espirituais bíblicos sadios tem sido contestados e  combatidos por intelectuais. Segundo essa nova corrente de pensamento feminista, as mulheres da aurora de um novo milênio estão revisando as sentenças que ao longo dos séculos as condenaram a uma interdição civil e política tendo como base o preconceito fundado na diferença de sexos e como “ilustração mística a lenda” de que Eva nasceu de uma costela de Adão. Elas estão propondo, nos mais distintos foros e nas mais variadas instâncias, ações rescisórias contra tal veredicto por entenderem que esse mito violou literal disposição da lei da natureza e se dispõem a provar que, em todos os tempos, é o homem que nasce da mulher e não o contrário. ( pesquisa Gazeta do povo 19/10/2000)

Comportamento
.O Psicólogo Ivan Capelatto afirma que é comum ouvir meninos na rua dizerem “Tio o senhor não imagina o prazer que dá ver o bacana tremer no cano do revólver nunca mais este metido vai ter prazer na vida e mata o sujeito”.

Assim como todos os psicopatas, o invejoso não se relaciona através da afetividade, que baseada na relação de ausência/presença , por isso é incapaz de sentir prazer. Capellato explica que se não há ausência, não há prazer, por isso o adulto invejoso provoca a perda para sentir a falta.

Por exemplo: ele ama demais a namorada, mais faz de tudo para que ela se afaste dele e então, na perda, ele sinta a falta e conseqüentemente o prazer. Na inveja, as pessoas não desejam obter o que é do outro, mas sim destruir aquilo que é objeto de prazer do outro. Segundo o terapeuta familiar Ivan  Capelatto a descoberta de que comportamentos considerados normais por uma sociedade  são doenças graves levou-o ao estudo da formação do pensamento psicopata.

Segundo ele, a solução depende da uma mudança na linguagem dos cuidados com a criança que devem ser regrados.  O ser humano é o único ser que adoece mentalmente e que, dependendo da linguagem que assume perante a vida, também adoece os que estão seu redor, conseqüentemente o filhos são as primeiras vitímas de “respeitáveis”pais psicopatas.

Estes pais segundo o psicólogo, adoecem seus filhos com atitudes como : andar nu dentro de casa, fazer promessas que nunca são cumpridas, tratar os filhos com indiferença e não com base na afetividade, usar o dinheiro como forma de manipulação , “Não é a sociedade que adoece o individuo, mas a família”afirma o psicólogo. Estudos e pesquisas na área da saúde mental tem mostrado que estes comportamentos são adulterações do aparelho psíquico do ser humano. Essas  adulterações tem gerado patologias que são classificadas na psiquiatria como psicopatologias do contato.

O assustador é que estas patologias estão incorporadas à sociedade como se não fossem doenças. Suas manifestações podem ser vistas dentro das casas de famílias “normais”e até mesmo dentro das escolas.

De acordo com o psicólogo, são as formas mais graves de patologia humana e são legitimadas pela sociedade. Isto porque quem faz as leis é aquele que está no poder e que é atraído pelo poder narciso, o desidentificado , aquele que não suporta a dieferença e por isto promove a .

A procriação
Função biológica e reprodutiva
O número de filhos por família diminuiu; a sexualidade foi separada da reprodução e esta pode acontecer fora do exercício da sexualidade genital.

A evolução  da reprodução artificial está prestes a permitir que a mulher guarde congelada uma parte de seus ovários para que possa implanta-lo mais tarde quando quiser ter filhos. Especialistas dos Estados Unidos, Inglaterra e França, estudam esse método que tem o objetivo de permitir que a mulher faça implante dessa parte do ovário congelado a qualquer momento da vida, fazendo com que o órgão volte a reproduzir hormônios e a funcionar.

De acordo com o especialista em reprodução humana Karam Abud Saab e professor da universidade Federal do Paraná, a novidade poderá ser usada por mulheres na menopausa para o retorno da reprodução, se assim a saúde física permitir, e ajudar as que por alguma doença perderem a capacidade de funcionamento do órgão.( pesquisa Diário do Noroeste 19/11/2000). O imperativo bíblico, crescei e multiplicai-vos e povoai a terra, não fala de procriação em laboratório, mas sim relação homem e mulher, da criação de filhos. É o jogo do amor, das emoções em família, de ver o filho crescer, atingir maturidade, casar, ter filhos, netos... o significado maior da vida em comunidade.

Casais que não tem filhos,sentem-se de uma certa forma frustrados e depressivos, com raras exceções, é obvio que há aqueles que que não querem filhos, mas o sentido bíblico da procriação é criar uma prole apaixonada e diversificada, para que vida tenha cor.

A crise do materialismo
O Humanismo, o gnosticismo, o marxismo grassam nas escolas e nos lares.(Desenvolver)

A Crise do tempo (Efésios 5 16)
Não se recupera tempo perdido, essa idéia de recuperar tempo perdido, é pura perda de tempo. O que passou, passou, o que ficam são as lembranças, os momentos em que cultivamos coisas boas, ou coisas ruins, enfim tudo que a vida me deu de troco, pelos investimentos que fiz.

O tempo corre, e com ele os anos passam ligeiro. Num mundo globalizado, você precisa encontrar mecanismos para não perder tempo. Voce precisa encontrar recursos para se ajustar ao meio. Precisa ampliar seu universo de amizades e relacionamentos.

A competição de mercado exige conhecimentos em vários segmentos. Num mundo internetizado, noções básicas se inglês se torna uma necessidade, a informática, uma urgência para a sobrevivência num mundo extremamente competitivo. A necessidade de se conquistar um lugar ao sol, é  necessário muita força de vontade e determinação e uma boa dose de auto estima.  Cada  dia que passa, os dias são mais curtos e a vida passa ligeiro.

Nesse turbilhão de inquietudes, de ruídos de assobios e buzinas, o sábio conselho do Apóstolo Paulo  “Remir o tempo, porque os dias são maus (Efésios 5:16).  Não que o tempo seja ruim, o grande problema é que os dias são maus. Essa correria estressa o homem. Cansa e faz com que o homem aja por instinto. Um raciocínio rápido para as grandes questões da vida, trazem penúrias para a alma.