MIDIA GOSPEL

Qui11232017

Last update01:02:01

Cristãos usam linguagem inapropriada na internet, dizem pastores

Gostou? Comente este artigo no fim da página
GOSPEL Fotos e imagens Cristãos usam linguagem inapropriada na internet, dizem pastores Noticia religião

Pastores, líderes religiosos e até políticos cristãos estão chamando a atenção em seus blogs e redes sociais para o problema da linguagem ofensiva utilizada pelos autodenominados evangélicos na internet.

Muitas vezes tomados pela indignação, revolta ou até ira, evangélicos despejam na web palavras de baixo calão, imagens pornográficas e mensagens que resvalam grosseria.

O doutor em Teologia, escritor, e Chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Reverendo Augutus Nicodemus, publicou em seu blog que se depara muitas vezes, nos comentários de leitores, com os mais diferentes tipos de linguagens.

“De vez em quando leio os murais e comentários de alguns dos mais de 3 mil ‘amigos’ que tenho no Facebook e não poucas vezes me deparo com murais compartilhando fotos meio-eróticas, para não falar de comentários cheios de palavras chulas e palavrões do pior tipo.”

Ele enfatiza que se refere aos que se identificam como crentes e lembra que “a pureza e a santidade requeridas na Bíblia para os cristãos abrange não somente seus atos como também seus pensamentos e suas palavras.”

Também vítima da agressividade linguística de ditos evangélicos, o pastor Renato Vargens, que tem um blog em que denuncia modismos teológicos e heresias, postou um texto em que se disse “amaldiçoado” por pessoas que defendem algumas bandas evangélicas ou personalidades do mundo gospel.

“Nos últimos dias fui chamado de falso irmão, blasfemos, maldito, além é claro de ter sido aviltado com palavrões impublicáveis”, disse, em post de 19 de janeiro.

Vargens ainda diz que se diz desanimado com manifestações desse tipo, mas todavia, crê na soberania de Deus: “confesso que ao testemunhar manifestações a favor desse falso evangelho, além da violência verborrágica por parte de alguns que insistem em agredir àqueles que defendem a verdade, tenho vontade de desistir”.

“O que consola meu coração”, continuou ele, “é a certeza de que o Soberano tem tudo sobre suas mãos e que absolutamente nada foge ao seu controle”.

O deputado federal evangélico Marco Feliciano (PSC/SP) também falou sobre o tema em sua conta no Twitter.

Após chamar os evangélicos à mobilização para temas em favor da vida e família, ele reclamou do ‘nível cultural’ e das palavras utilizadas na respostas recebidas: “Agradeço a opinião de todos incluindo as mais descabidas, isso é democracia e tais respostas refletem o nível cultural destes cristãos.”

Em outro post ele comentou: “Deixemos de futilidade, transformemos o Twitter numa ferramenta do reino! Obrigado!”.

O Reverendo Nicodemus resumiu o assunto fazendo uma análise do movimento evangélico brasileiro.

“Acho que a vulgarização do vocabulário dos evangélicos é simplesmente o reflexo do que já temos dito aqui muitas outras vezes: o cristianismo brasileiro é superficial”, disse ele afirmando que muitos se dizem evangélicos sem realmente serem praticantes.

“Muita gente que se diz evangélica nunca realmente experimentou o novo nascimento”, continuou, “as igrejas evangélicas estão cedendo ao mundanismo e ao relativismo da nossa sociedade. em vez de sermos sal e luz estamos nos tornando iguais ao mundo no viver, agir, pensar e falar”.

Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel