MIDIA GOSPEL

Qui12082016

Last update04:11:22

Para que tanta Oração se Deus já sabe de tudo?

Gostou? Comente este artigo no fim da página
para-que-tanta-oracao

“Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens” 1 Timóteo 2:1

Durante muito tempo pensei que oração e intercessão fossem a mesma coisa. Porém na verdade não são! Na epístola a Timóteo, Paulo menciona diversas formas de oração, uma delas é a intercessão.

Interceder significa literalmente “interpor-se, colocar-se entre”.

O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os que merecem sua justa ira e castigo. O intercessor levanta suas mãos a Deus e diz: “Deus, estas pessoas merecem seu juízo; tu tens todos direito de feri-las; mas se a ferires, terás de ferir a mim primeiro, pois me coloquei entre Ti e eles”.

Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fosse a sua. É estar entre Deus e as pessoas, a favor delas, tomando seu lugar e sentindo suas dores e necessidade de tal maneira que luta em oração até ver a vitória na vida daquele por quem intercede. A mais simples definição é: "Orai uns pelos outros" Tiago 5:16.

A Bíblia ela está cheia de exemplos:

-          Abraão suplicou por Ló e este foi livrado da destruição de Sodoma e Gomorra ;

-          Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido (Nm 14:13-20; Ex 32:11-14; Nm 11:2; 12:13; 21:7; 27:5);

-          Sansão, arrependido pediu uma última oportunidade... (Jz 16:21-30);

-          Samuel orou constantemente pela nação (1 Sm 12:23);

-          Elias orou por seca e chuva (1 Rs 18:21-26; Tg 5:16-18);

-          Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro na Babilônia (Dn 9:2-23);

-          Jesus intercedeu por Seus discípulos e fez especial  por Pedro (Lc 22:31-32);

-          Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão.

O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entre Deus e o homem, para pleitear a sua causa.

Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que à vontade de Deus seja feita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.

Deus tem levantado em nossos dias um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer a Terra o maior derramamento do Espírito já testemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória é a ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.

Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo a ver as circunstâncias como Cristo às vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que Sua vontade e propósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações.

“Jesus não esta orando por nós; Ele está intercedendo por nós para que nós possamos orar. Nossas orações em Nome de Jesus, são apenas a extensão da obra intercessora de Cristo. Jesus mediou o Homem e Deus e também mediou o Homem e o diabo.” Dutch Sheets (Veja I Timóteo 2:5).

Orar significa literalmente: “comunicar”, da mesma raiz que  “oratória”.

A definição mais simples que tenho para oração é conversar com Deus, falar com Ele semelhante à forma como podemos conversar com qualquer outra pessoa. Porém essa definição é um tanto limitada, orar é muito mais do que isso. Orar é rasgar o coração na presença de Deus, orar é um exercício de fé, orar é tocar o coração de Deus com palavras, pensamentos e sentimentos. Orar é beijar a face de Deus!

Orar é unir o pensamento do homem na terra com a vontade de Deus no céu e expressa-la através de palavras ou gemidos inexprimíveis.

Existem princípios que regem a oração, descobrir esses princípios e aplica-los em nossa vida diária determinará nossa maior eficiência no ministério da oração. “O poder da oração não reside no quanto oramos, mas no quanto nossas orações estão alinhadas com os princípios da oração.” Watchman Nee.

Existe uma relação entre oração e justiça, sabemos que Deus jamais faz algo contrário a sua vontade. Porém muitas vezes à vontade de Deus é abrir-nos portas, mas Ele insiste em esperar que oremos para só depois agir. É como se Ele esperasse por nós reconhecermos que precisamos Dele, que não somos capasses sozinhos e só depois de nos humilharmos em oração, Ele estende a sua mão e abre-nos as portas que tanto precisamos.

Qual a Necessidade da Oração e da Intercessão?

Quando cheguei ao seminário, no ministério Vale da Bênção, uma das primeiras tarefas que os alunos tinham que desempenhar era a de interceder no Centro de Oração, onde 24 horas por dia e sete dias por semana a mais de vinte anos vem sendo mantida uma vigília de oração ininterrupta por missões mundiais.

Apesar de tanta ênfase em oração, muito pouco era ensinado em sala de aula. Nunca recebi um seminário sobre intercessão semelhante a este, porém foram dezenas de ocasiões em que fui convocado para um período de jejum e oração.  Certa vez meu companheiro de quarto, perguntou para uma das coordenadoras: - Mas por quê todas essas escalas e horários de oração? E a resposta não foi muito inteligente... – Porque sim, porque eu mandei!

Ninguém deseja fazer alguma coisa só porque outro mandou. Ainda que obedecer a essa ordem possa trazer crescimento espiritual, muitos alunos ficavam indignados em serem obrigados a interceder sem saberem ao certo como funciona esse ministério.

Sabe, sou uma dessas pessoas que também gosto de perguntar: - mas por quê?!? Talvez você também seja assim questionador, e para interceder, jejuar e orar precise saber ao certo como funciona esse ministério. Existem perguntas dentro de todas as pessoas que precisam de respostas.

Perguntas como: - Minhas orações podem realmente mudar as circunstâncias negativas ao meu redor? Deus precisa que eu ore ou simplesmente deseja que eu ore? O que acontecerá se eu continuar orando? A final, Deus não é soberano? Ele não vai fazer o que Ele deseja de qualquer maneira?  Ou à vontade de Deus para minha vida pode ser frustrada por algum motivo, ato ou escolha que fizer?

Precisamos saber se aquele enfermo pelo qual oramos foi curado porque oramos, ou Deus iria cura-lo de qualquer maneira independente de nossas orações? Nesse caso, oramos apenas por um simbolismo bonito, mas de qualquer modo nossas orações não fazem diferença.

Alguns gostam de argumentar dizendo que Deus é onipotente, soberano e que a Bíblia mesmo afirma que “antes da palavra nos chegar à boca Ele já conhece as nossas necessidades”, e por tanto Deus não precisa de nossas orações na terra!

Ainda existem aqueles deterministas, que gostam de acreditar que tudo é obra do destino e que os acontecimentos já estavam escritos em algum lugar...  talvez no horóscopo, nas estrelas ou quem sabe nas cartas do tarô.

O fato é que a maioria dos cristãos de nossos dias não possuem respostas para essas perguntas. Pensam e agem, ainda que de forma subliminar e inconsciente como se Deus fosse o responsável por tudo de errado que acontece  com eles!

Saber os “por quês” pode ser uma grande energia motivadora para continuar a interceder, jejuar e orar!

Quando comecei a andar de bicicleta, minha mãe gritou: - Pedala mais devagar! Porém eu insisti em perguntar: - Por quê? Então descobri, quando cai no chão!

Na medida em que vamos crescendo espiritualmente e amadurecendo na fé, passamos a administrar ordens com maior facilidade. Aprendemos a obedecer sem perguntar os por quês.

Porém a dúvida permanece. Deus vai operar algo independente de minhas orações ou não? Caso Deus interfira na história da humanidade arbitrariamente sem estabelecer parceria com o homem, não há necessidade de desperdiçarmos nosso tempo. Caso seja verdade o pensamento de que “tudo o que é, é e será o que será”, então vamos deitar, cruzar nossos braços, reclamar mais um pouquinho pela demora de Deus e simplesmente deixar acontecer.

Por outro lado, será que John Wesley estava correto ao afirmar: “- Deus nada realiza na terra a não ser em resposta à oração”, nesse caso, acho saudável perder um pouco de sono para orar e interceder pela minha vida financeira, emocional, saúde física ou espiritual.

Nesse caso, devo continuar orando pelos meus familiares que ainda não são cristãos, a fim de que a Graça de Deus o alcance e cheguem ao conhecimento da plena verdade. Pois a salvação é uma obra que começa em Deus e Ele a revela aos seus, mas a oração é o poder que assegura  essa ação divina na terra!

Respostas como essas são fundamentais  para desligarmos a televisão e no horário das novelas gastarmos um tempo a mais orando ao Senhor ou até mesmo dispensar algumas refeições ao longo da semana.

Eu preciso saber se aquele índio no Pantanal voltou a ouvir porque orei, ou se Deus iria fazer isso de qualquer maneira, e naquele instante fiz apenas um papel imbecil orando por algo que já estava determinado em algum lugar acontecer!

Eu preciso saber se meu pai não morreu naquele aneurisma cerebral tipo 5 porque dezenas de pessoas jejuaram e oraram pela vida dele, ou não.

Eu preciso saber se fui livrado com minha esposa de inúmeros acidentes nas estradas porque o Espírito Santo acordou algumas pessoas para gemer em espírito por nós e intercederem sem entenderem ao certo por que estavam orando ou se tudo isso foi apenas uma coincidência!

Eu preciso saber se quando jejuo e oro antes de uma grande cruzada de evangelismo na praça, isso gera maior número de conversões, milagres e sinais do reino de Deus ou se Paulo quando fala que novamente “sentiu dores de parto” pelos gálatas (Gl 4:19, Rm 8) estava apenas ficando caduco e filosofando alegorias.

Chega de Perguntas, Vamos às Respostas.

Concordo plenamente com a declaração de Jonh Wesley! Deus nada realiza na terra a não ser em resposta a oração. Nossas oraçãos não são úteis, nem ajudam a Deus a operar sua vontade na terra, elas são fundamentais para que o poder de Deus seja manifestado sobre pessoas, circunstâncias, lugares e épocas. (Jo 9:2-3)

Concordo com E.M. Bounds: “Deus se relaciona com o mundo através da oração. Quanto mais oração houver no mundo, melhor o mundo será, mais poderosas serão as forças contra o mal. A oração dos santos de Deus são o estoque de capital no céu através do qual Deus executa sua grande obra sobre a terra”. (veja Ap 5:6-9).

“E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus pais; mas foi para que se manifestem nele as obras de Deus.” João 9:2-3.

Quero aproveitar para dizer, que continuo a amar você meu amigo leitor, ainda que você já tenha me chamado de doido umas setecentas vezes até agora! A grande maioria dos teólogos reformados incendiariam-me na fogueira da sagrada inquisição só por levantar tais perguntas!

O Plano de Deus “para a” e “através da” Humanidade.

Adão sempre inspirou-nos a idéia de um homem, bonito, alto e forte... embora o livro de gênesis não nos descreva precisamente como ele era, creio que realmente ele era um homem muito bonito.

Adão representava no Jardim do Éden toda a humanidade, inclusive eu e você! Ainda que nós não estivéssemos ali, presentes com Adão e Eva no ato do pecado original, herdamos a natureza pecaminosa introduzida no mundo por meio dessa desobediência. Logo estávamos sendo representados no éden, pela pessoa de Adão.

Alguns dicionários teológicos apontam para a palavra Adão o significado Vermelho, pois foi feito do pó da terra (Buckland) outros dizem que a expressão Adão é equivalente a “homem, ser humano” (James Strong). Porém o que todos são unânimes é em reconhecer que a pessoa de Adão no éden representava a presença de toda a humanidade, e que seu relacionamento com Deus é equivalente ao desejo divino de se relacionar com todos nós. A vontade de Deus para Adão é a vontade de Deus para toda raça humana.

Num primeiro momento, Deus deu a Adão uma esposa chamada Eva e diversos filhos. A estes Deus deu uma ordem: O Domínio sobre toda a terra e sobre os demais elementos da criação.

Veja o que diz Gênesis 1:26-28: “Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio[mashal] sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 28  E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai[mashal] sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra.”

Vejamos também o Salmo 8:3-8: “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste, que é o homem, que dele te lembres E o filho do homem, que o visites?  Fizeste-o, no entanto, por um pouco, menor do que Deus e de glória e de honra o coroaste.  Deste-lhe domínio[mashal]  sobre as obras da tua mão e sob seus pés tudo lhe puseste:  ovelhas e bois, todos, e também os animais do campo; 8  as aves do céu, e os peixes do mar, e tudo o que percorre as sendas dos mares.”

E o Salmo 115:16: “Os céus pertencem somente ao Eterno, mas a terra ele deu[nathan] aos seres humanos.”

A palavra hebraica [mashal] traduzida como domínio nessas passagens tem um significado muito profundo, e merece atenção especial. Esse termo indica que Adão e todos os seus descendentes haviam sido colocados por Deus para gerenciar, administrar toda a criação. Um super mordomo ou governador do Criador sobre a criação. A presença de Adão no jardim representava a presença do próprio Deus, logo na viração do dia eles tinham um encontro, onde conversavam, batiam papo e quem sabe talvez Adão até prestasse contas para Deus!?

Em momento algum Deus abriu mão de seu título de propriedade sobre a sua criação. Ele simplesmente transferiu autoridade e poder para Adão administrar[mashal]. Algo semelhante ao que Jesus posteriormente irá mencionar em algumas de suas parábolas que ilustram o Reino de Deus e ao que Ele fez ao transferir aos seus discípulos autoridade para saírem de dois em dois (Mt 10:1).

Dutch Sheets diz: “Deus não abandonou seu direito de propriedade sobre a terra, mas Ele atribuiu à humanidade a responsabilidade de governa-la.” Em seu livro Oração Intercessória. Aproveito para afirmar que boa parte desse tópico foi baseada em sua obra.

No Salmo 115:16, a expressão [nathan] em algumas versões é traduzida pela palavra atribuiu, mas freqüentemente traduzida por dar “...mas a terra Ele deu[nathan] aos seres humanos”.  Logo é correto afirmar que Deus não deixou de ter todas as circunstâncias sob seu total e soberano controle, porém decidiu, desejou, achou bom, teve vontade, fez a escolha de dar ao homem a responsabilidade de governar toda criação.

Infelizmente o primeiro homem, pecou e nesse ato transferiu inconscientemente autoridade para a serpente ou satanás. É isso mesmo o que aconteceu no Éden quando Adão e Eva cederam ao desejo de serem maiores que Deus.

“Portanto, assim como por um só homem[Adão] entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.” Romano 5:12.

Quando Deus estabelece um princípio eterno através de sua palavra, Ele sabe que não poderá voltar a trás e cancelar aquilo que outrora disse. Deus transferiu ao homem autoridade, domínio sobre toda a criação, e mesmo depois do pecado esse princípio continua valendo. O fato é que o homem perdeu a autoridade, domínio que recebera de Deus para satanás, então o caos foi estabelecido na criação.

O próprio Senhor Jesus confirma isso em João 12:31; 14:30 e 16:11 quando chama satanás de “príncipe deste mundo”.  Preste atenção ao que satanás diz para Jesus: “Levou-o ainda o diabo a um monte muito alto, mostrou-lhe todos os reinos do mundo e a glória deles e lhe disse: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares.” Mateus 4:8-9.

“Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua.” Lucas 4:6-7

Em momento algum Jesus questiona a veracidade dessa afirmação feita por satanás, pois Jesus sabia que no Éden Adão e Eva perderam o domínio sobre a criação. O cosmos havia sido abalado, a morte havia entrado na história, e o homem havia perdido seu estado original de “imagem e semelhança de Deus”.

Quando Deus transferiu autoridade para Adão, Ele estava falando tão sério que mesmo depois da queda Deus permanece imutável a sua palavra e promete uma “semente” que viria a terra para “pisar na cabeça da serpente” Gêneses 3:15. Essa semente é Jesus, que precisou ser encarnado na forma humana para desligar no Calvário aquilo que Adão ligou no éden (veja Mt 18:18-20).

“Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais domésticos e o és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida.

Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua semente/descendência e a sua semente/descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará”. Gênesis 3:14-16. Em virtude do ato pecaminoso de Adão e Eva, a “imagem e semelhança” [imago dei]  de Deus ficou distorcida.

Antes da queda, em seu estado original, Adão era muito parecido com Deus, “um pouco menor” diz o Salmo 8:5. Imagine a seguinte cena: Adão estava caminhando pelo Éden e um dos animais que o viu a distância comentou com o outro: - Olha, acho que é Deus quem esta se aproximando ali. Então quando Adão esta bem próximo, o outro animal responde: - Dessa vez você errou, não é Deus, é apenas Adão quem esta caminhando ali. Adão era realmente muito parecido com Deus, era a sua imagem e semelhança. “Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem  de Deus o criou; homem e mulher os criaram.” Gênesis 1:27.

Em II Coríntios 3:18 diz: “E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito”. Essa é a chave para nosso crescimento espiritual e transformação de vida, experimentarmos a glória do Senhor em nossas vidas, todos os dias, a fim de sermos restaurados pelo Espírito Santo.  O homem não deixou de ser imagem e semelhança de Deus, o problema é que o pecado em nossas vidas distorce essa [Imago Dei].

Não somos transformados de culto em culto, nem de seminário em seminário, mas sim de glória em glória!

Pense comigo:

Quem Criou o universo, a terra e o homem? Deus.

A quem Deus entregou o domínio sobre a terra? Ao Homem!

Quem desobedeceu a Deus e transferiu esse domínio a satanás? O Homem!

Quem teve a imagem de Deus destorcida em si próprio? O Homem!

Quem foi responsável pelo caos, pela morte, pelas “dores de parto” e pelo “suor do seu rosto comerás o teu pão” terem sido introduzidos na criação? O Homem.

A quem foi mesmo que Deus entregou o domínio sobre a terra? Haaa... ao Homem!

A que forma o Filho Primogênito de Deus precisou assumir? A forma Humana!

Uma vez encarnado sob a forma humana e esvaziado de toda sua glória, Jesus precisou cumprir o plano de redenção para toda a humanidade, assumindo na cruz todos os nossos pecados e concertando aquilo que o primeiro Adão havia falhado.

A maldição do pecado entra na história por um homem, Adão e é por outro homem, Jesus que Deus providencia o único meio para a salvação.

Filipenses 2:5-11 “Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. Pelo que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai.”

Romanos 5:14 “Entretanto, reinou a morte desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão , o qual prefigurava aquele que havia de vir.”

1 Coríntios 15:45 “Pois assim está escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito alma vivente. O último Adão [Jesus}, porém, é espírito vivificante.”

Onde foi que satanás conseguiu entrar e receber do homem domínio? Na Terra!

Onde foi que o homem foi caiu em tentação? Na terra, especificamente Éden!

Onde foi que Jesus precisou nascer em forma humana? Na Terra!

Onde foi que Jesus cresceu em conhecimento e estatura? Na Terra!

Onde foi que Jesus morreu crucificado? Na Terra!

A partir de onde que Jesus ressuscitou? De Baixo da Terra!

Para onde Jesus voltará? Para a Terra!

Onde é que nós nascemos, crescemos, vivemos, lutamos e vencemos? Na Terra!

Onde é que devemos orar dizendo: - “Venha o Teu Reino”? Na Terra!

Mateus 11:12 “Desde os dias de João Batista até agora, o reino dos céus é tomado por esforço, e os que se esforçam se apoderam dele.”

Mateus 6:10 “venha o teu reino; faça-se a tua vontade, assim na terra como no céu”.

A quem a Bíblia chama de “deus desse século” em II Co 4:4? Satanás!

A quem Jesus se refere em Jo 12:31; 14:30; 16:11? Satanás!

A quem pertence o reino descrito em Mt 12:26; Mc 3:26; Lc 11:18 e At 26:18

Jelson Becker é pastor. Reside atualmente em Recife-PE, onde desenvolve a base do ministério Avivamento Extravagante. Ministra em média 35 mil pessoas ao ano em seminários e encontros no Brasil e no exterior. Entre os temas abordados, estão: ativação de dons espirituais, princípios de transferência de unção, adoração profética, princípios que antecedem o avivamento, espíritos aprisionados e como implantar uma equipe de profetas intercessores em sua igreja. Lidera a Escola de Ativação Profética em Recife com o apoio de tele-salas de aula, que objetivam ensinar o evangelismo profético a igrejas no mundo.