MIDIA GOSPEL

Qui11272014

Last update02:41:24

Derrubando os Altares de Baal

Gostou? Comente este artigo no fim da página
Baal o Demonio das Trevas que é Derrotado por Cristo JESUS

Note bem o versículo inicial em Juízes 6: "Porém os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do Senhor, e o Senhor os entregou nas mãos dos midianitas por sete anos" (Juízes 6:1). Estas palavras descrevem um ciclo interminável que se repetiu em Israel através de gerações.Nos capítulos precedentes encontramos estas palavras repetidas inúmeras vezes. Elas dizem, basicamente: "Então fizeram os filhos de Israel o que era mau aos olhos do Senhor, e serviram aos baalins...e Deus, na Sua ira, os entregou nas mãos de seus inimigos".

A primeira citação aparece no capítulo 3. Lá diz: "A terra teve sossego por quarenta anos...e tornaram os filhos de Israel a fazer o que era mau aos olhos do Senhor" (3:11-12). Deus entregou seu povo ao inimigo, Moabe, "porque tinham feito o que era mau aos olhos do Senhor" (3:12). E Israel serviu a este inimigo pagão por dezoito anos, suportando privações e terror.

Depois, no capítulo 4, lemos: "Os filhos de Israel tornaram a fazer o que era mau aos olhos do Senhor...por isso o Senhor os entregou nas mãos de Jabim, rei de Canaã" (4:1-2). Desta vez o povo de Deus foi feito cativo pelos cananeus.

Logicamente, toda vez que Israel era escravizado, eles clamavam a Deus. E toda vez o Senhor era fiel para lhes enviar um libertador. Mas assim que este líder justo morria, o povo infalivelmente retornava ao pecado. E o ciclo completo começava novamente. Ele continua com o versículo do nosso texto, no capítulo 6: "Porém os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do Senhor, e o Senhor os entregou nas mãos dos midianitas por sete anos" (6:1).

Durante este período, Israel era continuamente humilhado por seus inimigos midianitas. Eles invadiam Israel sistematicamente a cada ano, roubando suas colheitas e seus bens. Os líderes das caravanas midianitas soltavam todos os seus camelos e outros animais nos campos israelenses. Estes devoravam completamente as plantações, devastando as colheitas como gafanhotos.

Sempre que Israel resistia, os midianitas os perseguiam até as montanhas. O povo de Deus acabava procurando abrigo em cavernas e covas, tendo que se alimentar com o que encontrava. "Assim Israel se enfraqueceu muito com a presença dos midianitas" (6:6). Israel perdeu tudo para o inimigo: suas casas, sua comida, seus bens. Eles viveram como miseráveis, sem lar e desolados.

Mais uma vez a escritura diz: "Os filhos de Israel clamaram ao Senhor" (6:6). Todavia este clamor não foi de arrependimento. Israel clamou devido à sua opressão pelos midianitas. Era um clamor de angústia, devido à sua pobreza, suas perdas, sua insegurança.

Desta vez, antes de Deus enviar um libertador a Israel, Ele enviou um profeta. Este homem de Deus apontou claramente a razão pela qual o povo estava sendo tão perseguido. Ele chamou a atenção: "Olhem para a sua história. Em cada caso Deus os livrou das mãos de todos os que lhes oprimiam. Ele livrou vocês da servidão no Egito. Também lhes disse para não temer os deuses dos amorreus, em cuja terra habitam. Mas vocês não deram ouvidos à Sua voz. Vocês ainda continuam a cultuar falsos deuses" (veja 6:8-10).

O Senhor estava dizendo essencialmente ao Seu povo: "Eu deixei bem claro para vocês desde o princípio: vocês não precisam temer ninguém exceto o seu Pai celestial. Não permitam que nenhum outro receio penetre em seus corações. Mas vocês me desobedeceram novamente. Vocês permitiram a entrada de toda sorte de receios. E me forçaram a lhes entregar para a inimigo, a fim de trazer-lhes de volta para Mim".

 

O Que Era Este Grande Mal

em Que Israel Sempre Recaía Novamente?

O profeta mostrou claramente a Israel qual era seu pecado: eles esqueceram o mandamento do Senhor de não temer os deuses deste mundo. Em Juízes 10 vemos o povo de Deus admitindo este pecado: "Então os filhos de Israel clamaram ao Senhor, dizendo: contra ti havemos pecado, porque deixamos a nosso Deus, e servimos aos baalins" (Juízes 10:10).

O que os israelitas queriam dizer aqui, quando falaram que serviam aos baalins? A palavra baalins está no plural. Significa todos os falsos deuses no mundo. A raíz de baalins é Baal, o qual reconhecemos das escrituras como sendo um espírito demoníaco. A missão de Baal é roubar de Deus todo louvor e confiança por parte de Seu povo. Ele alcança isto enfocando nossa atenção nas nossas circunstâncias, em vez de no Senhor.

Isto é exatamente o que ocorreu com Israel. Seu pecado trouxe amargura, desastre econômico, terrorismo por parte dos seus inimigos, incertezas. O fato é que Deus não os estava mais protegendo. Claro que Ele ainda amava Israel, mas Ele teve que deixá-los à mercê dos inimigos para que acordassem. Ele estava tentando trazê-los de volta para o abrigo de Suas asas.

Mas Israel se recusava a admitir que a causa de sua crise era seu próprio pecado. Era inacreditável, estas pessoas estavam sacrificando bebês, derramando sangue inocente, se tornando sensuais e apegados ao prazer. Como conseqüência, um desastre após o outro recaía sobre eles. Todavia, por nenhuma vez eles associaram estes desastres com a sua rebeldia. Eles não conseguiam acreditar que Deus estava permitindo tudo aquilo a fim de chamá-los ao arrependimento.

Eu vejo os Estados Unidos na mesma situação neste momento. O World Trade Center foi destruído. O Pentágono foi colocado em chamas. Todavia somente um pequeno remanescente pertencente ao corpo de Cristo reconheceu a mão de Deus nestes acontecimentos. Exatamente como fez com Israel séculos atrás, Deus momentaneamente nos entregou ao inimigo. Nossos pecados nos afastaram Dele, e Ele está querendo nos trazer de volta para Si.

Pense sobre isto: nos últimos seis meses, os Estados Unidos viram os piores incêndios da sua história. Um terço da nação esteve em chamas. Também vimos mudanças drásticas no clima e enchentes devastadoras. E bezouros japonêses estão devorando vastas extensões de florestas.

Agora estamos vendo um surto do vírus mortal do oeste do Nilo. E ao norte do país, uma terrível doença cerebral atacou a população de veados. Mais de 50.000 deles tiveram de ser mortos, numa tentativa de conter a doença. Mas alguns especialistas dizem que talvez seja necessário matar mais 200.000 animais até garantir que a doença esteja erradicada.

Cada vez que a gente dá uma olhada, parece que encaramos uma nova crise. Eu lhe pergunto, poderia Deus deixar a Sua mensagem mais clara do que isso? Ele está dizendo: "Eu estou cutucando seu ombro, tentando acordá-lo. Mas você continua me ignorando. Isto apenas vai me forçar a cutucar mais forte".

Deixe-me lhe perguntar: você acredita que Deus poderia ter impedido aqueles seqüestradores muçulmanos de jogar os aviões contra as torres gêmeas? Claro que podia. Ele revelou conspirações deste tipo muitas vezes. Mas não no ano passado. Por que? Ele está tentando nos falar, chamar nossa atenção. Ele permitiu a destruição dos nossos símbolos de prosperidade, porque colocamos neles todo nosso orgulho e confiança.

Nosso presidente, nossos líderes no Congresso e os oficiais da segurança tem nos alertado: "O grande ataque ainda está para vir". Agora ouço alguns cristãos dizendo: "Aguarde o grande ataque. Poderá ser uma mala-bomba. Ou, alguém poderá espalhar varíola ou antrax numa grande cidade. Seja o que for, haverá milhares de mortes. E isto vai atrair a atenção dos Estados Unidos. As pessoas saberão que Deus está chamando esta nação de volta para si. Multidões clamarão ao Senhor".

Eu discordo. Digo por que.

Mesmo se os Estados Unidos

"Clamarem a Deus", Como Israel Fez,

Deus Deseja Algo Mais.

Israel chorou muito, clamando a Deus na sua angústia. Por isso Deus enviou um profeta para lhes mostrar que foi o pecado que fez recair o julgamento sobre eles. Mas, para um verdadeiro arrependimento, Israel precisava reconhecer seu pecado como sendo a causa dos seus problemas. E fizeram exatamente isto, admitindo que haviam pecado.

Mas havia ainda mais um passo a ser dado. Veja, mesmo se clamamos a Deus em arrependimento, Ele exige algo mais de nós. E se este passo não for dado, Deus não mostrará Seu braço forte em nosso favor. Vemos exatamente qual deve ser este passo, na ordem seguinte dada por Deus: derrube Baal.

O Senhor falou estas palavras a Gideão: "Toma o boi de teu pai, a saber, o segundo boi de sete anos, e derruba o altar de Baal, que é de teu pai, e corta o poste-ídolo que está ao pé dele" (Juízes 6:25).

Antes disso, provavelmente Gideão pensou que já estava suficientemente arrependido. Afinal, ele tinha clamado ao Senhor. Tinha ouvido a palavra profética que Deus enviara a Israel. E tinha correspondido totalmente, reconhecendo seu pecado.

Vejo a mesma atitude de arrependimento entre muitos cristãos hoje em dia. Em igrejas do país todo, as pessoas estão de joelhos clamando a Deus. E isto é bom. Mas de acordo com o Senhor, um problema ainda permanece. É um ídolo em nosso meio: Baal.

Sim, Baal continua sendo um grande ídolo atualmente. E se nosso arrependimento deve ser completo, temos que derrubar este ídolo. Do contrário, não adiantará clamar a Deus, orar ou jejuar. Nenhuma das nossas ações terá qualquer impacto, até que derrubemos o ídolo que se apegou a tantos corações.

Você poderá perguntar: "Então, o que é este Baal? Onde o vejo atuando? Como poderia um antigo falso deus estar presente na nossa sociedade moderna ?"

No Antigo Testamento, Baal era representado por um ídolo esculpido em madeira, pedra ou metal. Era feito na forma de um homem, do tipo de um formoso Adonis. Apesar de este ídolo ser apenas um pedaço de material morto, havia um poderoso espírito por detrás dele.

Na nossa era iluminada, não podemos imaginar nenhuma pessoa inteligente se curvando diante de um ídolo esculpido. Na verdade, ainda há religiões pagãs que usam tais imagens no culto, inclusive Budismo, Hare Krishna e Hinduísmo. Mas seja o ídolo Baal, Buda ou alguma das milhões de divindades hindus, o mesmo espírito demoníaco está por trás dele. E este espírito é enviado do inferno com um propósito: causar dúvidas nas pessoas a respeito da realidade de Deus. É um espírito de incredulidade, pura e simplesmente. E ele assalta nossas mentes com dúvidas sobre a fidelidade de Deus.

É tremendamente perigoso tolerar este espírito. Se ele não for expulso imediatamente, ao primeiro ataque, ele vai se infiltrar na mente. E uma vez que dúvidas e medos possam entrar, o espírito de Baal toma posse da alma.

 

Se Não For Combatido,

o Espírito de Incredulidade de Baal

Entra e Edifica um Altar.

Sem dúvida incredulidade é um ídolo. Ele faz você se encurvar em submissão ao seu poder. E abre a sua alma para toda sorte de males. De fato, o versículo que vemos repetidas vezes através de Juízes - "Os filhos de Israel fizeram o que era mau aos olhos do Senhor" - não se refere a algum pecado grosseiro, mas à incredulidade do povo.

Isto é claramente ilustrado em Ezequiel 8. O Espírito Santo levou o profeta Ezequiel numa visão ao santuário santo. Ali Ele revelou ao profeta quatro abominações deploráveis que o povo de Deus estava cometendo. Depois, mostrou a Ezequiel uma abominação ainda maior. "Ele me disse: Filho do homem, cava agora naquela parede. Cavei na parede, e vi uma porta. Então me disse: Entra, e vê as terríveis abominações que eles fazem aqui. Entrei, e vi" (Ezequiel 8:8-10).

O que Ezequiel viu o deixou horrorizado. As paredes da câmara estavam repletas de pinturas de "toda forma de répteis, e de animais abomináveis, e todos os ídolos da casa de Israel" (8:10). Diante destas paredes estavam setenta anciãos de Israel, balançando incensários. Eles estavam adorando o espírito por trás das pinturas.

O Espírito Santo disse a Ezequiel que esta cena revelava o que estava preenchendo a mente dos anciãos de Israel. E o que estes homens estavam pensando é o seguinte: "O Senhor não nos vê; o Senhor abandonou a terra" (8:12).

Amado, aqui estava o espírito de Baal plenamente exposto. Através de uma visão dada pelo Espírito Santo, Ezequiel viu em primeira mão como este espírito edifica um altar na mente de uma pessoa e assume o controle. Como consequencia, os líderes de Israel dispensaram o cuidado de Deus por eles. Ao comparar sua pobreza com a aparente prosperidade dos midianitas, eles pensavam: "Onde está nosso Deus? Nossas orações não estão sendo atendidas. Não vemos nenhuma evidência de que Ele esteja se empenhando por nós. O Senhor nos abandonou".

Satanás tinha realizado com sucesso sua única e primordial missão: incutir na mente dos fiéis que Deus não é quem a Bíblia diz ser. O diabo quer lhe convencer que Deus não é onisciente, onipotente e que cuida de todos. Satanás está em ação constantemente semeando dúvidas em você. Ele faz você pensar que Deus não ouve suas orações, que Ele não cumpre Suas promessas para você. E envia o espírito de Baal para completar esta obra em você.

O espírito de Baal está sempre presente junto ao leito de uma criança morrendo, ou de um membro da família acometido de grave enfermidade. Ao vermos nossos amados sofrendo, nos perguntamos sobre os propósitos de Deus. E repentinamente, um medo é injetado em nossa mente. Mais tarde, quando a morte chega, aquela semente de dúvida é regada. Logo nos vemos perguntando: "Como um Deus de amor pode permitir que isto aconteça?"

No mês passado eu estava ouvindo reportagens pelo rádio sobre o um ano dos ataques de 11 de setembro. Centenas de pessoas estavam sendo entrevistadas. A grande maioria afirmou ter perdido toda a confiança em Deus após os ataques. A resposta típica era: "Como poderia um Deus justo e cheio de amor ficar parado e deixar isto acontecer? Não posso mais acreditar num Deus que permite a morte de tantas pessoas." Várias pessoas declararam: "Meu Deus morreu em 11 de setembro".

Não interessa se você é um consagrado apaixonado por Jesus ou um incrédulo. Depois de todo desastre, calamidade ou acidente fatal, Satanás envia legiões de espíritos demoníacos para realizar a obra de Baal. Eles chegam imediatamente, sussurando: "Onde estava Deus? Como Ele permitiu uma coisa dessas?"

Atualmente há uma incerteza generalizada em nossa sociedade. Falências estão ocorrendo em elevado número. Trabalhadores tem receio de perderem os empregos. Ao olharem para o futuro as pessoas são tomadas pelo medo. Eu lhe digo que é justamente em épocas assim que Satanás lança um ataque geral. Ele quer entrar em sua mente, lançar sementes e edificar um altar de Baal. Ele quer que você duvide de tudo que conhece sobre a palavra de Deus.

 

O que a Ordem de Deus Para

"Derrubar os Altares de Baal"

Tem a Ver Conosco?

Você pode pensar: "Não tenho idolatria em minha vida. Como vou derrubar um altar de Baal?" Deixe-me enfatizar novamente que Baal é um espírito de incredulidade. Você pode ter se arrependido dos pecados, clamado a Deus por misericórdia, ter atendido todos os avisos proféticos. Mas se tem dúvidas em seu coração sobre a fidelidade de Deus, você está sujeito ao espírito de Baal. E Deus está lhe dizendo: "Você precisa retirar este espírito de incredulidade da sua alma".

Creio que simplesmente não compreendemos o quanto Deus odeia a incredulidade em Seu povo. Nós não a vemos como a terrível maldição que é como as escritura a chamam. Não percebemos que toda dúvida, todo pensamento de incredulidade é do espírito satânico de Baal.

O profeta Jeremias descreve a incredulidade como sendo um pecado "escrito com um estilete de ferro, gravado com ponta de diamante na tábua do seu coração" (Jeremias 17:1). Segundo ele, Deus falou a Israel: "o fogo que acendeste na minha ira arderá para sempre" (17:4). Qual era o pecado deles? "Maldito o homem que confia no homem, que faz da carne o seu braço, e cujo coração se aparta do Senhor... Bendito o homem que confia no Senhor, e cuja esperança é o Senhor" (17:5.7).

Guarde estas palavras marcantes na memória enquanto retornamos a Gideão. Aqui estava um homem que clamava a Deus, ao qual foi dada uma impressionante palavra profética, e que atendeu a esta palavra. Mas Gideão ainda abrigava dúvidas e medos. Por que?

O pai de Gideão tinha eregido um altar a Baal na propriedade deles. Era apenas uma estátua de madeira. Mas o espírito por trás dela tinha construído uma fortaleza no coração de Gideão. Cada vez que Gideão passava em frente dela, a voz daquele ídolo falava à sua alma: "Veja sua pobreza, sua labuta, suas necessidades não satisfeitas. Onde está Deus?" Na verdade, o ídolo testemunhava para todo israelita que o via: "Deus não está com voces. Ele não liga. Ele está muito ocupado com coisas do mundo para se preocupar em alimentar e proteger um pequeno povo como vocês. O Senhor os abandonou".

Agora, em Juízes 6, um anjo traz esta palavra a Gideão: "O Senhor é contigo, homem valente" (Juízes 6:12). Deus pronuncia apenas seis palavras aqui. E as quatro primeiras não são dirigidas apenas a Gideão, mas a todo o Seu povo, inclusive à igreja hoje em dia: "O Senhor é contigo." O Senhor está dizendo essencialmente: "Vocês só precisam dessa promessa: Eu estou com vocês."

Amado, esta verdade tem que se tornar o fundamento real da nossa fé. Não importa o que nos aconteça - privação, tragédia, doença, pobreza, tentações - a promessa do nosso Pai permanece: "Eu estou com vocês." Em todas as nossas provações, especialmente quando estamos sendo flagelados e oprimidos, temos que nos apegar a essa palavra. Temos de clamar com fé: "Eu sei que estás comigo, Senhor. E se Tu estás comigo, quem pode estar contra mim?"

Contudo quando Gideão encontrou o anjo do Senhor, ele tinha um espírito de incredulidade no coração. Ele respondeu ao anjo: "Se o Senhor é conosco, por que tudo isso nos sobreveio? E que é feito de todas as suas maravilhas que nossos pais nos contaram, dizendo: Não nos fez o Senhor subir do Egito? Porém agora o Senhor nos desamparou, e nos entregou nas mãos dos midianitas" (6:13).

As palavras de Gideão soam familiares? Ele estava dizendo as mesmas coisas que ocupavam as mentes daqueles setenta anciãos na visão de Ezequiel: "O Senhor não nos vê; o Senhor abandonou a terra" (Ezequiel 8:12). Eles diziam a si mesmos: "Sim, há um Deus. Ele existe, e é o Criador de tudo. Mas Ele não toma conhecimento de nós. Ele não vê nossa situação. Ele nos abandonou."


Deus já Tinha Dado Ordem a Gideão,

"Vá, Liberte Israel. Eu Estarei Contigo."

Mas Ainda Havia uma Questão

a Ser Tratada no Coração de Gideão.

O Senhor falou a Gideão: "Você ainda tem dúvida de que estou consigo. Isto é idolatria, Gideão. É o espírito de Baal. Agora vá, tome o boi de seu pai, e derrube aquele ídolo. Depois corte todas as árvores do bosque, e use-as para construir um novo altar. Você irá consumir o ídolo de seu pai neste altar. Quero que derrube este símbolo de incredulidade e o destrua completamente."

Por que o Senhor escolheu este homem incrédulo para derrubar Baal? Foi claramente um ato da terna misericórdia de Deus. Aqui estava um homem com grandes dúvidas, lutando para acreditar que Deus ao menos se incomodava com ele. Ele estava tão incrédulo que poderia dizer a um anjo: "Deus nos abandonou." E ele testou Deus várias vezes. Mas toda vez Deus esclareceu a dúvida de Gideão.

Deixe-me dar um exemplo. Mais adiante, quando Gideão estava prestes a ir para a batalha, ele testou Deus. A situação de Israel parecia impossível. Portanto Gideão orou: "Senhor, se Tu estás realmente conosco nesta batalha, mostra-me. Porei uma porção de lã na grama esta noite. Amanhã saberei se estás conosco, se a lã estiver molhada mas a grama ao redor estiver seca."

Você pode estar espantado com a audácia de Gideão. Mas, na manhã seguinte Gideão viu que o chão estava seco. E quando pegou a lã, estava encharcada de água, exatamente como ele tinha pedido.

A maioria de nós é como Gideão. Deus vem a nós fielmente em provação após provação, nos ajudando e providenciando o que precisamos. Mas então nos deparamos com uma nova situação, e dizemos: "Senhor, esta é a minha pior crise até agora. Nunca enfrentei uma coisa dessas. Estou com dúvidas."

Há alguma incredulidade em você? Você está lutando, fazendo perguntas do tipo: "Onde estás, Senhor? Não tens visto minhas lágrimas? Onde há qualquer prova de que estás comigo na minha provação? Tu me abandonastes? A minha fé não move o Seu coração? Por que não removes estes fardos de cima de mim?"

O Senhor não condena nem despreza ninguém por atravessar fases de dúvida e medo. A verdade é que Deus sabia que as dúvidas de Gideão não eram acusações. Eram questionamentos. Gideão estava simplesmente procurando respostas.

Eu lhe digo o seguinte: o Deus de misericórdia que encontrou um Gideão incrédulo e o chamou para entrar em ação, deseja fazer o mesmo com você. Ele tem grandes vitórias planejadas para você. E deseja vencer cada inimigo em sua vida. Portanto, Ele quer lhe dar Seu poder e autoridade para derrubar toda fortaleza: toda dúvida, todo medo, todo pensamento de incredulidade.

O Senhor me fez entender que Ele está para realizar uma obra específica na vida de muitos cristãos. Na verdade, está para lhes dar a mais importante vitória de todas. Ele já os está conduzindo a novos recantos de paz e descanso em Cristo. E está prestes a revelar Seu braço forte para com eles.

Acredito que este seja o propósito de Deus para muitos leitores desta mensagem. Ele está para fazer algo novo em você. Mas primeiro, você precisa derrubar todo pensamento de dúvida, e deixar todo medo. Deus quer que você derrube completamente o espírito de Baal do seu coração, e comece a viver e falar em fé.

O Senhor vai fornecer o touro forte necessário para derrubar este ídolo. Ele lhe dará o poder e a força do Seu Espírito Santo. Portanto, avise o inimigo: "Deus está comigo, diabo. Você não pode me fazer mal. E não pode impedir Seus planos para a minha vida. O Senhor tem vitórias preparadas para mim."

Por David Wilkerson
Usado através de permissão concedida por World Challenge,
P. O. Box 260, Lindale, TX 75771, USA.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar