MIDIA GOSPEL

Sáb12032016

Last update03:33:33

A Vida Interior e a Vida Exterior

Gostou? Comente este artigo no fim da página

Colossenses 3: 1 a 4


Queridos irmãos, essa carta foi escrita por Paulo à igreja em Colossos, quando Epafras – que era um dos líderes em Colossos – foi até Roma, o­nde o apóstolo estava preso, contar-lhe as heresias que estavam se instalando na igreja de Colossos: uma delas era o culto aos anjos, a outra, a obrigatoriedade do cerimonial judaico. Paulo então, combate esses erros apresentando Cristo como “o cabeça da Igreja”, e a igreja, como o corpo.

A maior parte da igreja em Colossos era de gentios, mas havia uma numerosa e influente população judaica ali, que era responsável por parte das heresias (cerimonial judaico, etc.)

Paulo declara, então, a soberania absoluta de Jesus Cristo, nesta que é a carta mais cristocêntrica de todo o NT.

Nos primeiros 2 capítulos, Paulo apresenta o Senhor como soberano e superior a todos os anjos, e no capítulo 3 (alvo do nosso estudo), ele nos mostra como devemos edificar nossa vida interior, definindo Cristo como “nossa vida”, quando ficamos progressivamente menos interessados nas coisas do mundo.

Então leiamos:3:1 “Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, o­nde Cristo está assentado à destra de Deus".

Se já ressuscitamos, é porque já morremos; esta morte, é a morte espiritual (do velho espírito), esse morrer e esse ressuscitar, referem-se ao “batismo espiritual” ou nascimento do novo espírito em nós (o Espírito Santo).

Paulo mostra, aqui, que ao morrer e ressuscitarmos juntamente com Cristo, passando da morte para uma vida celestial, o cristão deve focalizar todos os seus desejos e pensamentos nos céus, que é a esfera o­nde vive o Senhor ressurreto.

O crente, ao invés de buscar (inutilmente) conquistar um lugar no céu, mediante a disciplina terrena, as obras, os rituais, deve procurar por em ação (nas suas atitudes terrenas) a sua nova natureza celestial, que divide agora com Cristo.

A idéia de ressurreição representa uma revolução moral: o homem, antes inteiramente carnal, agora recebeu o poder do Espírito Santo, e está identificado com Cristo, por isso está moral e espiritualmente transformado.

E como nós participamos da Sua ressurreição (ressuscitamos com Ele), devemos buscar aquelas realidades compatíveis coma vida ressurreta de Cristo, porque:

a) Ele está nos céus
b) Tudo o que Ele faz está envolvido nas realidades celestiais

Portanto:Fixemos então nossas mentes aonde Ele se encontra e busquemos aquilo que Ele também busca.

Leiamos o versículo 2:
3:2 “Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;”

Pensai... no grego é “phronéu” : “pensar”, “considerar” ou “fixar a mente sobre”. Sem dúvida, aqui, o apóstolo Paulo usa enfaticamente o sentido de “fixar a mente sobre”.

Paulo nos exorta aqui a dedicar a Cristo todas as nossas faculdades intelectuais e contemplativas, das nossas almas.

Veja que as palavras “buscai” (no primeiro versículo), e “pensai” (no versículo 2), ambas estão no imperativo presente. É como se Paulo tivesse dito: Que o vosso hábito seja essa procura e essa fixação das vossas mentes (pensar), nas coisas espirituais. Ele esperava que a nossa concentração nas coisas celestiais fosse com intensidade.

É como se Paulo nos dissesse: Convém que sejamos transferidos para as regiões celestiais para estarmos com Cristo, o­nde Cristo está; mas isso será impossível, se não dermos lugar, nas nossas mentes, às coisas do Espírito.

Mas se a nossa alma não se consagrar ao Espírito, isso é impossível, porque essa busca, esse pensamento constante, não é uma coisa automática: isso exige muita dedicação da nossa vontade.

Aquele que invade a sua mente com coisas mundanas, como aquelas que gente vê nos filmes, na televisão, na literatura imoral, etc., ou mesmo aquele que se preocupa exclusivamente com as coisas terrenas, dificilmente será capaz de fixar sua mente nas coisas do alto.

Em Filipenses 4:8, Paulo nos dá uma boa lista de oito coisas boas nas quais devemos pensar: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.”

Leiamos o verso 3:
3:3 “porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.”

Ora, sabemos que essa “morte” é a morte para a carne, para a natureza inferior, para o pecado, para a religião ritualista, para a sujeição ao culto aos anjos (que os Colossenses praticavam).     Não é a morte para o mundo em si (o trabalho, a comunhão com a família), mas sim morte para as coisas do mundo que não levam à salvação, porque nossas vidas já estão “escondidas” em Deus, com Cristo (algumas traduções dizem “ocultas”).

Ter a “vida oculta em Deus”, quer dizer que nós habitamos n’Ele, que temos comunhão com Ele, que nós compartilhamos da vida que Ele tem, aleluia!

Enfim, no verso 4 podemos ler:

3:4 “Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com Ele em glória.”

Quando Jesus vier, nós iremos com ele, e participaremos, com todos os filhos de Deus, da mesma natureza que tem Jesus Cristo, na mesma glória, e na mesma herança que ele desfruta! Não é maravilhoso?


Mas, irmãos e irmãs queridas, eu quero lhes lembrar de uma coisa: Nós não estamos mortos na nossa carne, ainda (senão você não estaria lendo este texto...) Para esse mundo, nós continuamos vivendo e habitando nele!

Apenas a nossa vida interior agora mudou (o nosso novo espírito), não é? E para vivermos essa nova vida interior, precisamos nos despojar da velha natureza, fazendo-a morrer! À medida que nós conhecemos melhor a Cristo, descobrimos que certas coisas já não nos interessam.

Cristo acrescenta tanto às nossas vidas que, que já não há mais lugar para as coisas velhas. Nós estamos ocupados com a nova vida “em Cristo”!

Não seria ridículo, se ao comprarmos uma roupa nova, nós nos recusássemos a tirar a roupa que estamos vestindo, e insistíssemos em usar a nova sem nos despirmos da velha?

É o que muitos crentes fazem. Procuram vestir a roupa de uma nova vida por cima de uma velha natureza. Ela simplesmente não cabe. Temos que tirar a roupa velha, para vestir a nova.

E muitos incorrem nesse engano, direcionados pela (má) orientação de seus próprios líderes – infelizmente – já que escutam-nos ensinar que “Jesus não te muda nada...”, “...você fica igualzinho...”

Mas não deve ser assim na verdade. Uma vez que somos transformados na nossa vida interior, pela presença de Cristo, queremos que a nossa vida (nova vida) seja vista e percebida entre os homens, não é?

A nossa edificação (interior) tem que ser vista pelo lado de fora, ou seja, a nossa vida exterior tem que refletir a nossa vida interior, apesar de continuarmos vivendo (carnalmente) neste mundo, e precisamos empreender esforços nesse sentido.

Entendamos portanto, queridos, que nesse texto de Colossenses 3 e 4, Paulo quer nos ensinar que devemos viver essa nossa nova vida interior, fazendo-a refletir-se na vida exterior.

O texto nos ensina que, longe de nos separarmos do contato dos incrédulos, temos a responsabilidade de lhes servir de exemplo. Guarde isso: Deus não chama os crentes ao “isolamento”, mas chama-os à “separação”!

Jesus foi acusado de ser “amigo de publicanos, pecadores e prostitutas” (Mt 9: 11); disse ainda que “ninguém acende a candeia (lâmpada) e a coloca escondida, mas sim à mostra, para que ilumine a todos os que estão na casa” (Mt 5: 15)

Ora nós somos “luz do mundo” e “sal da terra”, aleluia!

CONCLUINDO:
Conforme o capítulo 3 de Colossenses, nós já estamos mortos com Cristo para as coisas deste mundo: devemos por nossas mentes nas coisas do alto, nas coisas de Deus, e se lermos o capítulo 4 de Colossenses, veremos que nós devemos continuar vivendo normalmente, sim, porém, andando em sabedoria para com os que estão de fora, ou seja, dando nosso exemplo e testemunho;

E qual o desafio que nos deixa esta Palavra?

- Eu estou cumprindo meu papel, conforme a vontade de Deus que eu aprendi hoje, de estar morto para esse mundo?

- Eu estou andando em sabedoria para com os que estão de fora, conforme a Palavra de Deus, servindo de exemplo, de testemunho vivo?

- Ou eu ainda não me despi da minha natureza antiga, a velha roupa, para servir como luz do mundo e sal da terra? Será que eu ainda estou “igualzinho” como eu era antes?

Oremos para que Deus nos encha cada vez mais com o Seu Espírito, capacitando-nos a ser suas testemunhas vivas neste mundo, conforme suas últimas palavras, registradas por Lucas em Atos 1: 8 “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra".

A Deus toda a Glória!

Artigo recebido por email
Fonte: Estudos Gospel