MIDIA GOSPEL

Qui12082016

Last update12:01:22

A Pergunta Mais Absurda da Bíblia Sagrada

Gostou? Comente este artigo no fim da página
“Como pode um homem nascer, sendo velho? Poderá voltar ao ventre da sua mãe e nascer?” (João 3:4)

O versículo acima traduz, no meu entender, a pergunta mais absurda já feita por alguém, sábio em seu tempo, mestre em Israel, extremamente culto entre os judeus e um dos maiores conhecedores da Lei Judaica. Um religioso que decidiu procurar JESUS à noite.

Assim se deu o encontro de JESUS CRISTO com Nicodemos (que em hebraico quer dizer “vitorioso sobre o povo”). Aquele encontro estava recheado de profunda contradição: que homem que se considerava sábio pelos seus próprios conhecimentos, um dos principais da hierarquia religiosa da época, repleto de diplomas e reconhecimento social, mas que não entendeu o que de mais simples JESUS lhe dissera: “necessário vos é nascer de novo” (João 3:7).

O diálogo se inicia com Nicodemos reconhecendo que JEUS é Mestre, vindo de DEUS. Ele reconhecera isso pelos milagres que o Filho de DEUS realizava. Imagino alguém se aproximando de JESUS para Lhe encher de elogios: “sei que Tu és Mestre, Poderoso, Filho de DEUS, Rei dos reis, O Grande Eu Sou” e outros mais, como se quisesse acariciar o ego dEle e conquistar JESUS com palavras enaltecedoras. Mas JESUS não deu a mínima importância aos elogios, às palavras que saíam da boca daquele homem, embora tudo o que ele dissesse fosse verdade. A primeira lição que tiramos para a nossa vida é que o Filho de DEUS não está interessado apenas em palavras bonitas, mas em atitudes. Por isso, JESUS o interrompe abruptamente e sem a menor cerimônia afirma: “Em verdade, em verdade te digo que quem não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (João 3:3). Foi aí que a mente do sábio entrou “em parafusos”, em total confusão: “Nascer de novo? Como deve ser isso?”, perguntou Nicodemos a si próprio, demonstrando total ignorância ao que JESUS lhe dissera. Para em seguida lançar a pergunta de sua boca que, aos meus olhos, se tornou a mais descabida de toda Bíblia Sagrada: “Como pode um homem nascer, sendo velho? Poderá voltar ao ventre da sua mãe e nascer?” (João 3:4). As interrogativas seriam cômicas se não tivessem sido reais. Estariam mais para uma piada, se não tivessem partido do coração de um homem referência na religiosidade da época. A pergunta de Nicodemos criou uma imagem surreal: um homem de estatura adulta, velho, de boa idade, retornando ao ventre de sua mãe.

Muitos religiosos hoje em dia, inteligentes nos conhecimentos seculares, cheios de títulos, diplomas e certificados, fazem perguntas parecidas àquela que o velho Nicodemos fez a JESUS, quando são convidados a nascerem de novo. Mas JESUS também lhes diz: “quem não nascer de novo, impossível entrar no reino de DEUS!” A pessoa pode se derramar em elogios a JESUS, dizer que ELE é o centro de sua vida, que ELE é Salvador, Filho de DEUS, mas se não nascer de novo, jamais verá a Glória de DEUS. JESUS exige do homem uma atitude, provinda de sua fé, um novo nascimento, ou seja, é preciso nascer duas vezes se quiser um dia habitar no Céu.

O mesmo livro de João, no capítulo 1, traz uma informação preciosa sobre esse novo nascimento: “Estava no mundo (Jesus), o mundo foi feito por meio dele (de Jesus), mas o mundo não o conheceu (não deu importância). Veio para o que era seu (os judeus), mas os seus não o receberam (não quiseram nascer de novo). Mas a todos os que receberem (nascerem de novo), àqueles que crêem no seu nome, deu-lhes o poder de serem filhos de Deus. Filhos nascidos não do sangue, nem da vontade da carne, nem da vontade do homem (o primeiro nascimento de toda pessoa, que é gerado através da relação sexual do pai com a mãe), mas de Deus (da água e do Espírito)” (João 1:10-13) (grifos meus).

O máximo que Nicodemos deveria ter perguntado seria como se daria esse novo nascimento. Essa seria a pergunta mais natural, mais óbvia, de alguém que de fato não entendera o que lhe fora dito. Mas Nicodemos, como culto que era, preferiu a pergunta mais absurda. Mas mesmo assim, considerando a ignorância do “mestre em Israel”, JESUS reafirma: “em verdade, em verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. O que é nascido da carne, é carne, mas o que é nascido do Espírito, é espírito. Não te maravilhes de eu te dizer: necessário vos é nascer de novo” (João 3:5-7). JESUS voltara a bater na mesma tecla. A insistência de JESUS era para demonstrar que não havia outra alternativa para Nicodemos ser salvo e herdar o reino de DEUS, senão a de nascer de novo. JESUS estava lhe dizendo que ele precisava largar todo o conhecimento, a religiosidade que o aprisionava, se despir espiritualmente, humilhar-se, arrepender-se dos seus pecados e, o mais importante, crer no coração e confessar JESUS como seu Senhor e Salvador exclusivo. JESUS, em outras palavras, estava advertindo: “Nicodemos, sua religiosidade e o seu alto conhecimento teológico não te salvarão, não te levarão ao Céu. Só através do novo nascimento”.

O apóstolo Paulo explicou sucintamente como se dá o processo do novo nascimento: “Se com a tua boca confessares a Jesus como Senhor e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo (terás nascido de novo). Pois com o coração se crê para a justiça e com a boca se faz confissão para a salvação” (Romanos 10:9-10) (grifou meu). Era isso que JESUS estava esperando que Nicodemos fizesse. Mas no seu mais alto status, no seu mais alto cargo e prestígio religioso não conseguia entender uma coisa tão simples. O seu orgulho o impedia de enxergar o óbvio: o caminho da salvação. O homem natural, apenas nascido uma vez, prefere se esconder por trás de uma religiosidade para demonstrar que tem vida espiritual, mas não quer renunciá-la, abrir mão das suas vontades, do seu querer, e confessar a CRISTO como único Senhor e Salvador da sua vida. O homem diz querer JESUS, mas não quer obedecê-LO, viver em santidade. No livro de Atos diz: “em nenhum outro há salvação, pois também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos” (4:12). Quem disse essas palavras foram Pedro e João, aqueles que não admitiam idolatria alguma sobre eles.

Certa vez, Paulo e Barnabé estavam pregando o Evangelho da salvação em Licaônia. Após realizarem um milagre no Nome de JESUS na vida de um aleijado (ele voltara a andar), os que assistiam àquilo queriam idolatrá-los, da mesma forma como muitos fazem hoje em dia. Chamaram Júpiter a Barnabé, e Mercúrio a Paulo. Os seguidores de CRISTO, repudiando veementemente aquela idolatria, clamaram: “senhores, porque fazeis estas coisas? Nós também somos homens como vós, sujeitos às mesmas paixões, e vos anunciamos que vos convertais (nasçam de novo) dessas vaidades ao Deus vivo, que fez o céu, a terra, o mar, e tudo o que neles há” (Atos 14:15).

A própria Maria, que foi uma agraciada para trazer ao mundo o Filho de DEUS, reconheceu a sua limitação humana e compreendeu que precisaria nascer de novo: “A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, pois olhou para a humildade da sua serva. Desde agora todas as gerações me chamarão bem-aventurada, pois grandes coisas me fez o Poderoso. Santo é o seu nome” (Lucas 1:46-49). Também, em um casamento, ao faltar o vinho, JESUS respondeu à Maria: “Mulher, que tenho eu contigo? Ainda não chegou a minha hora. Sua mãe disse aos serventes: fazei tudo o que ELE (e não ela) vos disser” (João 2:4-5).

Muitos atualmente se comportam como Nicodemos e não querem nascer de novo. Muitos daqueles que viram face a face o Filho de DEUS aqui na terra também não quiseram. A pessoa que apenas nasceu uma vez não compreende como funcionam as coisas espirituais, vive presa, algemada em seu próprio eu. Foi isso que JESUS ao final daquele diálogo respondeu a Nicodemos: “em verdade, em verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos do que vimos; contudo, não aceitais o nosso testemunho. Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais?” (João 3:11-12). JESUS encerrava o diálogo ali de forma brilhante, perfeita, magistral. Em meio a uma pergunta tão absurda que ouvira de Nicodemos, concluiu com outra tão maravilhosa. “Como um cego pode enxergar a Verdade se não nascer de novo?”

Nicodemos era mestre em seu tempo, possuía uma visão privilegiada, mas era cego, ignorante, pobre e miserável. Teve a oportunidade de ser evangelizado pelo próprio JESUS, o Evangelho vivo, mas preferiu ficar recluso ao seu mundo de vaidades, continuar sendo criatura, ao invés de filho de DEUS. Muitos são os Nicodemos nesse tempo. JESUS não está mais entre nós materializado, como homem, de carne e osso. Mas o Seu Sangue e o Seu Espírito querem se fazer presentes na vida de todo aquele que O confessar como único Senhor e Salvador. Tome uma decisão hoje! Não deixe para amanhã, pois o tempo futuro é incerto. Quando você viver o novo nascimento, tudo em sua vida se fará novo, diferente: “Portanto, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo” (2 Coríntios 5:17). É impossível confessar a CRISTO como Senhor e Salvador, abandonar a religiosidade, e não ter uma vida repleta de novidades. A primeira delas é a salvação da sua alma; o seu nome passa a ser registrado no Livro dos Salvos, dos santos. A segunda é um oceano de bênçãos que DEUS tem para você! O PAI quer mudar agora a página da sua vida através do novo nascimento! Que DEUS nos abençoe!

Se você entendeu que o Espírito Santo falou ao seu coração através desse estudo, se você ainda não nasceu de novo e quer tomar essa decisão, procure uma igreja evangélica mais perto de sua casa.

Autor: Fernando César
Fonte: Estudos Gospel