MIDIA GOSPEL

Qui05252017

Last update07:20:11

Americano é processado por levar seguidores da empresa no Twitter

Gostou? Comente este artigo no fim da página
GOSPEL Fotos e imagens Americano é processado por 'levar' seguidores da empresa no Twitter Noticia Digital

Um americano está sendo processado pela companhia onde trabalhava por ter levado para sua conta os seguidores que conquistou no Twitter com a conta da empresa.

Noah Kravitz tinha uma conta no Twitter enquanto trabalhava na empresa de telefonia celular Phonedog. Quando pediu demissão, Kravitz continuou usando a mesma conta, apenas mudou seu nome, e levou com ele cerca de 17 mil seguidores.

Kravitz afirmou que a companhia deu permissão para que ele continuasse usando a mesma conta depois que ele pediu demissão.

O ex-funcionário disse ao jornal The New York Times que a Phonedog permitiu que ele transformasse sua conta de Twitter da empresa em conta pessoal, desde que ele "postasse em nome da empresa algumas vezes".

Mas a Phonedog agora está pedindo uma indenização de US$ 2,50 (quase R$ 4,70) por usuário por cada um dos oito meses que Kravitz utilizou a conta, em um total de US$ 370 mil (cerca de R$ 687 mil).

Conta da empresa

Kravitz, de 38 anos e que mora na Califórnia, trabalhou no site de telefonia celular Phonedog durante quatro anos. O site tem duas partes, a de e-commerce, que vende telefones, e um blog.

Enquanto estava na empresa, Kravitz começou a postar no Twitter com o nome de Phonedog_Noah e, com o passar do tempo, conseguiu 17 mil seguidores.

Quando ele deixou a empresa, em outubro de 2010, Kravitz alega que a Phonedog disse que ele poderia manter a conta no Twitter em troca de postar em nome da empresa ocasionalmente.

Em uma entrevista ao The New York Times por telefone, Kravitz afirmou que o pedido da empresa foi para que ele "postasse no nome deles de vez em quando”.

"Eu disse sim, pois estava saindo (da empresa) sem problemas", disse.

Então, o ex-funcionário começou a postar como NoahKravitz, mantendo todos os seus seguidores sob este novo nome.

No entanto, oito meses depois de sair da empresa, a Phonedog entrou com um processo contra Kravitz, alegando que a lista de seguidores do Twitter era uma lista de clientes.

"Os custos e recursos investidos pela Phonedog Media no crescimento do número de seguidores, fãs e conhecimento geral da marca por meios das mídias sociais foram grandes e são considerados propriedade da Phonedog Media", informou a companhia em uma declaração.

"Vamos proteger nossas listas de clientes e informações confidenciais, propriedade intelectual e marca registrada."

Precedente

O controle corporativo de contas no Twitter tem sido motivo de muitos debates e especialistas afirmam que este último caso pode abrir um precedente para disputas futuras.

"As companhias agora vão desenvolver métodos mais cuidadosos de decidir se querem postar no Twitter em contas conjuntas", afirmou Barbara Cookson, advogada britânica especialista em propriedade intelectual.

"Para empresas comuns é muito difícil ganhar seguidores sem ter uma personalidade forte. Você precisa ter uma marca muito forte para que funcione", acrescentou.

A advogada afirma que é difícil determinar um valor financeiro a seguidores no Twitter. Mas, para ela, é possível discutir se uma lista de seguidores no Twitter pode ser comparada a uma lista de clientes.

"Se a Phonedog usava (a lista de seguidores) para mostrar suas ofertas, então, talvez, é uma lista de clientes que tem valor", acrescentou.

Fonte: BBC | Divulgação: Midia Gospel