MIDIA GOSPEL

Sex12092016

Last update03:01:22

Imprensa tem preconceito antievangélico e anticatólico, diz colunista da Veja sobre caso de Marcos Pereira

Gostou? Comente este artigo no fim da página

Imprensa tem preconceito antievangélico e anticatólico, diz colunista da Veja sobre caso de Marcos Pereira | Noticia Evangélica Gospel

Colunista da Revista Veja analisa a relação de Marcos Pereira com o líder do AfroReggae, que acusa o pastor de ligação com o crime organizado. Reinaldo Azevedo, conhecido por contextualizar assuntos polêmicos, com opiniões contundentes, saiu em defesa dos cristãos e criticou a mídia em relação a cobertura sobre o caso do pastor Marcos Pereira, acusado de violentar sexualmente fiéis da igreja Assembleia de Deus dos Últimos Dias. “Se cometeu os crimes de que é acusado (Marcos Pereira), que fique 800 anos na cadeia. O que sei é que evangélicos não são estupradores ou tendentes ao estupro, assim como católicos não são pedófilos ou tendentes à pedofilia”, analisa Azevedo.em relação a cobertura da mídia.

Sempre questionado em seu blog ao expor opiniões diferentes do que a maioria da mídia defende, Reinaldo Azevedo avalia, em outras palavras, que acusações acabam sendo generalizadas, na qual atingem a credibilidade dos cristãos e que consequentemente acabam sendo vitimas de preconceito.

Azevedo aponta que a imprensa brasileira promove o preconceito contra os cristãos e avalia que as acusações contra Marcos Pereira não devem influenciar na credibilidade da fé cristã. “Como já apontei aqui — e apontarei outras 500 vezes se necessário —, a existência de um ativo preconceito antirreligioso na imprensa brasileira, os idiotas perdem a modéstia e perguntam: ‘O que você vai dizer agora?’. Vou dizer o óbvio: cadeia para Marcos Pereira se for culpado, como defendi cadeia para padres pedófilos. Qual o mistério? O preconceito antirreligioso da nossa imprensa é, na verdade, anticristão (antievangélico e anticatólico)”.

O pastor Marcos Pereira, que é também um dos líderes da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, foi preso na noite desta terça-feira (7), no Rio de Janeiro, acusado por abusar sexualmente de seis fiéis, sendo três ainda menores de idade. Existem ainda acusações contra o pastor de ter se associado ao narcotráfico

Sem citar nomes, Azevedo analisa os ataques contra os religiosos que já defenderam ou que continuam defendendo o pastor Marcos Pereira e que acabam sendo atacados em comparação com o pastor investigado. “Ah, Fulano de tal, evangélico, já defendeu Marcos Pereira; Beltrano também… Certamente não o defenderam porque fosse um estuprador, não é mesmo? O fato de o sujeito ser um líder religioso e, ao mesmo tempo, um estuprador”, analisa.

Nesse mesmo contexto, Azevedo analisa ainda a relação de Marco Pereira com José Júnior, o líder do Movimento AfroReggae, que acusa atualmente o pastor de ligação com o crime organizado. José Júnior, que já apoiou os trabalhos de pregação religiosa nos presídios realizados pelo pastor, em fevereiro de 2012 acusou Pereira de planejar a sua morte, "o que nunca ficou claro o motivo".

Azevedo usa como exemplo um vídeo (abaixo) para explicar a relação de amizade entre os dois, onde, na época, o pastor, que estava proibido de entrar no presídio Moniz Sodré há quatro anos, justamente por causa das desconfianças sobre a natureza e os efeitos de sua pregação, voltou a pregar no local por intermédio do AfroReggae. “Amigos? Ah, eles foram, sim!!! E como!!! Vejam o vídeo abaixo, em que José Júnior canta as glórias de Marcos Pereira. Pergunta óbvia: digamos que Júnior tenha sido enganado… Por que os evangélicos, que o elogiaram o pastor que está preso, não podem entrar na mesma categoria? Respondo: porque José Júnior, na imprensa, é considerado um ‘ativista social’, acima do bem e do mal, e os evangélicos são vítimas do tal preconceito a que me referi”.

PASTOR MARCOS PEREIRA E AFRO REGGAE

Fonte: The Christian Post | Divulgação: Midia Gospel

Os melhores Estudos Biblicos Midia Gospel